Idéia em Prática

61784_Papel-de-Parede-Obra-de-Vincent-van-Gogh_1920x1200

Olá. Quem vos escreve é o Celso, a pessoa responsável por essa boa idéia, e eu sou arcaico o suficiente para me recusar a escrever “idéia” sem o acento no “e”, mesmo que isso signifique ser pleiteado pelo autocorretor.

Eu não faço a menor idéia (!) do que este blog irá se tornar. Muito provavelmente não se tornará nada, e eu estou plenamente ciente disto. O plano para a feitura deste blog (pode ser considerado um blog?) já estava em minha cabeça há quase dois anos, mas até então me faltara motivação para  de fato criá-lo.

Eu gosto de ser surpreendido, e resolvi me surpreender hoje. Sim, eu mesmo, responsável pela minha própria surpresa ou surpreendimento. Na tarde dessa terça-feira, em Março tardio ou Abril precoce, eu resolvi finalmente escrever a vocês. Por que? Bom, acho que porque minhas distrações finalmente passaram a me aborrecer.

Nunca antes e escrevi para alguém. Meus textos foram sempre para mim, e nunca houve melhor amigo do que essa belíssima tela em branco pronta para ser preenchida com as mais diversas palavras. E eu havia esquecido disso, vejam bem! Somente agora me recordei de como essa sensação é prazerosa, a de estar novamente face-a-face com a tela em branco.

E simplesmente por citar essa tela, já me ocorre uma idéia para um texto discorrendo sobre a mesma,  eu provavelmente embasaria o texto dizendo que a tela em branco é um infinito leque de decisões, assim como a nossa vida, e cabe a nós mesmos escolher e decidir o que é que adicionaremos nela.

De qualquer forma, publicarei aqui as mais diversas idéias de minha mente doentia. Não espero que gostem, pois nem mesmo espero que alguém venha a ler. Mas quem sabe…

 

Anúncios